Scroll Top

Faculdade de Engenharia Elétrica em Goiás

Da área na região

Os candidatos interessados no curso de Engenharia Elétrica em Goiás podem contar com diversas instituições, dentre públicas e privadas. Dentre as entidades com maior destaque estão: Universidade Federal de Goiás, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Estácio de Sá, Anhanguera, além de outras. É importante ressaltar que o estudante pode ingressar em algumas delas por meio do vestibular tradicional ou via Exame Nacional do Ensino Médio.

Para garantir uma vaga na habilitação pela UFG, o estudante precisa fazer entre 700 e 800 pontos no Enem, pois essa é uma margem de segurança, se for levado em conta a pontuação do curso noturno de 2013, com 776,49 e diurno de 2014, com 698,14. É válido ressaltar que a cada ano a concorrência aumenta nesse tipo de teste, pois há um número significativo de universidades que já aceitam o Enem como forma de ingresso.

 

Exigências

As disciplinas não variam muito, pois as instituições precisam cumprir o necessário quando se trata da matriz curricular, por isso é bem comum encontrar assuntos como matemática e física nos anos iniciais das atividades. A parte específica costuma ser inserida a partir do quarto período.Faculdade-de-Engenharia-Elétrica-goias

Em geral, o curso de Engenharia Elétrica costuma ser caro, ficando entre 1 mil e 2 mil reais. Mas na Faculdade Alfa, existe a possibilidade de estudar por menos de 900 reais. Fica a critério do estudante. A sua duração é de 5 anos e no final é exigido a apresentação de um projeto final. Para conquistar o diploma, ele precisa ser aprovado nesse trabalho de conclusão.

 

Evasão

As matérias que envolvem cálculo, na fase inicial, são necessárias. No entanto, a desistência de muitos estudantes ocorre por justamente não conseguir êxito, ou seja, aprovação. Isso tem sido um problema nas faculdades de exatas, sobretudo, nas engenharias, que formam poucos profissionais a cada ano. O abandono ultrapassa a margem de 40% e isso acaba gerando prejuízos financeiros para o país e, consequentemente, interferindo no desenvolvimento econômico.

Para combater a evasão, muitas universidades têm implementado programas, como reforço em temas como matemática e física ou mesmo reavaliação da carreira escolhida, para que o estudante repense nos pontos relevantes que o estimula ou não, no que tange ao curso.

 

Cursos de eng elétrica indicados

  • https://www.ufg.br/p/6069-engenharia-eletrica
  • http://www.pucgoias.edu.br/
  • http://www.unilist.com.br/iueso/
  • http://www.anapolis.ifg.edu.br/
  • http://www.estudenaanhanguera.com/2step/index.jsp?theme=anhangueraFIES&CCID=20288179204429171&QTR=ZZf201405081345500Za20288179Zg23Zw19Zm33Zc204429171Zs20885ZZ&CLK=366150227130515131&&exp=y
  • http://www.alfa.br/
  • http://www.ulbra.br/
  • http://www.ucg.br/ucg/prograd/graduacao/home/index.asp?id_unidade=41

 

Bolsas e financiamentos

Se o interesse é o de ingressar em instituição pública, o estudante precisa obter a pontuação necessária para ingressar via Sistema de Seleção Unificada. Agora, se as entidades privadas não estão descartadas, ele pode participar do Programa Universidade para Todos ou Fundo de Financiamento Estudantil. Contudo, o mesmo deverá avaliar se o seu perfil atende às exigências desses programas de incentivo.

No primeiro caso é importante que o candidato seja oriundo de escola pública ou tenha estudado com bolsa em colégio particular. Na segunda opção, exige-se a participação no Enem a partir de 2010 e serve tanto para o ingressante ou aluno de períodos avançados. Nos dois casos, o interessado pode conquistar até 100% de isenção. Os detalhes podem ser obtidos na página oficial de cada um deles.

Mais Artigos:

1 Comentário

  1. Etelvino Muguira disse:

    Eu gostari de ter bolsa para estudar engenharia civil ou qualquer engenharia

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: